Histórias, artigos e reportagens

Os livros-reportagem mais vendidos de 2016

in Reportagens, artigos, resenhas e afins por

Analisamos a lista dos livros mais vendidos de 2016 para identificar quais foram os livros-reportagem que se destacaram.

A lista é elaborada pelo site PublishNews, portal especializado em notícias e informações sobre a indústria do livro. Desde 2001 eles publicam a lista de livros mais vendidos no Brasil e serve de referência para diversos canais de comunicação.

De acordo com o Publishnews: “o ranking de livros mais vendidos é elaborado a partir da soma simples das vendas de todas as livrarias consultadas” e as “12 livrarias monitoradas são: Argumento, Cultura, Curitiba, Fnac, Laselva, Leitura, Martins Fontes SP, Nobel, Saraiva, SuperNews, Travessa”.

Dos 20 livros de não-ficção dessa lista de mais vendidos em 2016 vamos destacar os que mais se aproximam do livro-reportagem, usando como referência o livro “Páginas Ampliadas: o livro-reportagem como extensão do jornalismo e da literatura”, escrito pelo professor Edvaldo Pereira Lima. Ele propôs uma classificação que identificou 13 tipos de livros-reportagem, porém, essa categorização não é definitiva e estanque, sendo que mais de uma forma pode ser encontrada em uma mesma obra.

A lista:

  1. Muito mais que 5inco minutos, Kéfera Buchmann, editora Paralela, 104.548 exemplares.
  2. O diário de Anne Frank, Mirjam Pressler / Otto H. Frank, editora Record, 95.315
  3. Lava Jato, Vladimir Netto, editora Primeira Pessoa, 80.931
  4. O nome de Deus é misericórdia, Andrea Tornielli / Papa Francisco, editora Planeta do Brasil, 66.628
  5. Tá gravando. E agora?, Kéfera Buchmann, editora Paralela, 63.462
  6. Maria, Rodrigo Alvarez, editora Globo Livros, 59.357
  7. Uma pergunta por dia, Potter Style, editora Intrínseca, 50.181
  8. Rita Lee — uma autobiografia, Rita Lee, editora Globo Livros, 43.729
  9. Bela cozinha 2, Bela Gil, editora Globo Estilo, 41.111
  10. Felicidade ou morte, Clóvis de Barros Filho / Leandro Karnal, editora Papirus 7 mares, 39.944
  11. Tá todo mundo mal, Jout Jout, editora Companhia das Letras, 34.407
  12. Dona Benta – Comer bem, Vários, editora Companhia Editora Nacional, 34.288
  13. Destrua este diário, Keri Smith, editora Intrínseca, 32.456
  14. Filosofia para corajosos, Luiz Felipe Ponde, editora Planeta do Brasil, 29.441
  15. O que tem na geladeira?, Rita Lobo, editora Panelinha, 29.360
  16. A história do mundo para quem tem pressa, Emma Marriott, editora Valentina, 24.901
  17. Humano demais, Rodrigo Alvarez, editora Globo Livros, 24.341
  18. Sapiens, Yuval Noah Harari, editora L&PM, 24.257
  19. Novos caminhos, novas escolhas, Abilio Diniz, editora Objetiva, 24.131
  20. Cozinha prática, Rita Lobo, editora Senac São Paulo, 21.299

Caso não existissem variações do livro-reportagem e seguíssemos um cânone rigoroso e estanque, digamos que somente um livro dessa lista seria classificado: “Lava Jato”, de Vladimir Netto.

Dez livros podem ser caracterizados como variações, por serem biografias/perfis: “Muito mais que 5inco minutos”, “O diário de Anne Frank”, “O nome de Deus é misericórdia “, “Tá gravando. E agora?”, “Maria”, “Rita Lee — uma autobiografia”, “Tá todo mundo mal”, “Humano demais” e “Novos caminhos”.

No resumo geral, 11 livros estão próximos do que identificamos como produto que contenha elementos característicos do livro-reportagem e que quatro livros foram escritos por jornalistas. Podemos considerar que seja um bom número no total geral: 55% da lista.

typewriter

A sinopse de cada livro está disponível no site PublishNews no link:
http://www.publishnews.com.br/ranking/anual/13/2016/0/0

Deixe uma resposta

Latest from Reportagens, artigos, resenhas e afins

Nenhuma a menos!

Foi dito: ‘Aquele que se divorciar de sua mulher deverá dar-lhe certidão

O Agro é tudo?

Uma contínua campanha midiática exibida em toda a rede em diversos horários
Go to Top